Peter Jackson escreve linda homenagem de despedida a Christopher Lee

0

O cinema ficou mais triste, quando nesta quinta feira foi noticiado que o ator Christopher Lee, de 93 anos, havia falecido no último domingo. O ator que tem uma carreira brilhante, com trabalhos em mais de 200 produções, já interpretou papéis como Conde Drácula, Conde Dookan (Star Wars), Saruman (O Senhor dos Anéis), Sherlock Holmes, Scaramanga, A Criatura de Frankstein, além disso o ator já havia lutado na Segunda Guerra Mundial, foi Agente do Serviço Secreto Britânico, gravou discos de Heavy Metal, dublou diversos personagens, falava mais de seis línguas e já havia ganho o título de Sir da majestade britânica. Por essas e outras que Christopher Lee é considerado por muitos um ícone e uma lenda dos cinemas.

 O diretor e produtor Peter Jackson admirava o ator e trabalhou com o mesmo nas franquias O Senhor dos Anéis e O Hobbit. “Um verdadeiro cavalheiro, numa era em que já não se valorizam mais os cavalheiros”, foi assim que Jackson definiu Lee em uma emocionante carta de despedida escrita no Facebook que você pode conferir abaixo na integra.

Christopher Lee

“Foi com uma tremenda tristeza que eu soube do falecimento de Sir Christopher Lee. Ele tinha 93 anos de idade, há algum tempo não vinha gozando de sua usual boa saúde, mas seu espírito se manteve, como sempre, indômito.

Christopher falava sete línguas; ele foi, em todos os sentidos, um homem do mundo; versado em arte, política, literatura e ciência. Ele foi um estudioso, um cantor, um contador de histórias extraordinário e, claro, um ator maravilhoso. Uma das minhas coisas favoritas a fazer sempre que eu ia a Londres era visitar Christopher e Gitte, onde ele iria me deliciar com horas e horas de histórias sobre sua vida extraordinária. Eu adorava ouvi-las e ele adorava contá-las – elas eram contadas da forma mais atraente porque elas eram verdadeiras –, histórias de seu tempo com o SAS (Serviço Aéreo Especial da Grã-Bretanha), durante a Segunda Guerra Mundial, dos anos do Horror da Hammer e, depois, de seu trabalho com Tim Burton – do qual ele foi extremamente orgulhoso.

Eu tive a sorte de trabalhar com Chris em cinco filmes ao todo e nunca deixou de ser uma emoção vê-lo no set. Eu me lembro dele dizendo, no meu aniversário de 40 anos (ele tinha 80 na época), “Você é a metade do homem que eu sou”. Ser metade do homem que Christopher Lee foi é mais do que eu jamais poderia esperar. Ele foi um verdadeiro cavalheiro, numa época que já não valoriza cavalheiros.

Eu cresci amando os filmes de Christopher Lee. A maior parte da minha vida eu passei encantado pelos grandes e icônicos papéis que ele não apenas criou, mas de que se apropriou ao longo de décadas. Mas, em algum ponto de sua estrada, Christopher Lee, de repente e magicamente, dissolveu-se e tornou-se meu amigo, Chris. E eu passei a amar Chris ainda mais.

Nunca haverá outro Christopher Lee. Ele tem um lugar único na história do cinema e nos corações de milhões de fãs ao redor do mundo.

O mundo será um lugar menor sem ele.

Minhas profundas condolências a Gitte e a sua família e amigos.

Descanse em paz, Chris.

Um ícone do cinema virou lenda.”

Fonte: Peter Jackson Facebook

LEAVE A REPLY

Please enter your comment!
Please enter your name here