Crítica: O Legado de Júpiter – Série falha ao tentar surfar no sucesso dos super-heróis!

0
O Legado de Júpiter netflix
O Legado de Júpiter netflix

Série: O Legado de Júpiter – Volume 1
Temporada:
 Primeira
Exibição: Exclusivo Netflix
Review Noobz: Raphael Trindade (@Tomada7)

————————————————

Super-herói hoje em dia já quase que um gênero próprio dentro do audiovisual, e por já estar nas graças do público constantemente há mais de vinte anos é natural que o tema em si se transforme para que não acabe sempre como mais do mesmo, uma evolução involuntária. Com isso em mente, está claro que atualmente as novas produções envolvendo seres poderosos com capas esvoaçantes procuram se atualizar e trazer mais que uma história heroica banal, mas também um drama narrativo que se aproxima da realidade, uns acertam, outros não, e O Legado de Júpiter acaba se enquadrando neste último. 

Inspirada nos quadrinhos de mesmo nome de Mark Millar e Frank Quitely escritos em 2012, a nova série da Netflix traz um uma Terra onde existe uma grande massa de super-heróis e seres com poderes, sendo a grande cabeça disso A União (de fato, a Liga da Justiça aqui), grupo de justiceiros liderados por Utópico (Josh Duhamel) e sua esposa Lady Liberdade (Leslie Bibb) que também comandam a trama central da série. O Legado de Júpiter tem o início chamativo numa ideia promissora, heróis carregados de cinismo, um drama familiar e uma pequena dose de violência, todavia, é onde o positivo empaca e o programa começa a trair a si mesmo. 

O Legado de Júpiter crítica

É evidente que a brutalidade explicita se tornou um diferencial nas produções baseadas em quadrinhos atualmente, vide as recentes produções da Amazon Prime Video com The Boys, que ganha pela sua comédia sádica numa sua trama única, e Invencível, que conquista em sua brutalidade visual chamativa, e afora isso, até mesmo as séries da Marvel Studios com a fórmula fichada do estúdio conseguem se esconder no bom aproveitamento de personagens já conhecidos. O Legado de Júpiter, porém, se esforça para ser um pouco dos dois ‌em uma tentativa moderna de trazer super-heróis para algo mais realista e também querendo ser um pouco do que a Marvel é em suas cores vibrantes, o resultado é uma falha absoluta em ambos que em nada se destaca por sua falta de originalidade, tudo no show é opaco, raso e comum.

A trama da série, criada por Steven S. DeKnight, oscila entre passado e presente, sendo divida entre contar como os principais heróis do planeta conseguiram seus poderes e como isso se aplica no momento atual onde eles e seus filhos se encontram, tal divisão não possui padrão algum, e mesmo que isso não incomode, a falta de continuidade dramática com ambas as partes é triste. De um lado temos flashbacks calculados que trazem uma empatia maior pelos personagens principais e uma ambientação enérgica constante, do outro temos o presente com conflitos familiares costumeiros de pouquíssimo desenvolvimento e que não ganham em nada a atenção, é uma quebra fatal no ritmo da narrativa que faz qualquer espectador perder o interesse facilmente no programa.

Como se não bastasse, nem ao menos as sequências de ação, um ponto onde tal gênero em geral se destaca, são boas aos olhos, O Legado de Júpiter possui cenas de combate no máximo medianas, uma mistura simplória de ação mal coreografada das séries da CW com efeitos especiais de Power Rangers da década de 90 atolada em slow motions vergonhosos e maquiagens superficiais que pouco convencem. Paralelo a isso, o elenco da série é tão raso quanto sua trama, jamais aparecem com presença em tela, Josh Duhamel e companhia não fracassam totalmente em seus papéis, embora também não mereçam ser citados pelos mesmos.

É preso nesses defeitos criados pela mesma que recebemos uma t‌rama previsível onde tudo acontece muito fácil e sem explicações plausíveis, um ambiente fajuto e nada convencível e ‌diálogos maçantes carregados por heróis sem essência que pouco inspiram (nem ao menos quando tentam). O Legado de Júpiter surge em sua premissa como uma aposta da Netflix para bater de frente com o The Boys da Amazon, e de início sua chamada é realmente interessante envolvendo heróis em ‌uma luta pacata entre conservadorismo e libertário, uma pena não se desenvolver apropriadamente em seu decorrer e terminar, no todo, como uma narrativa meramente sem graça.

Trailer

Nota: 4.0

O Legado de Júpiter - Volume 1
4 / 10 Reviewer
{{ reviewsOverall }} / 10 Usuários (0 votos)
Sinopse
A primeira geração de super-heróis protegeu o mundo por quase um século. Agora, é a vez de seus filhos lutarem pelos mesmos ideais. O Legado de Júpiter é uma série original Netflix baseada nos quadrinhos de Mark Millar e Frank Quitely.
Rating4
Review dos Leitores Deixe seu voto
Order by:

Be the first to leave a review.

Verificado
{{{ review.rating_title }}}
{{{review.rating_comment | nl2br}}}

This review has no replies yet.

Avatar
Show more
Show more
{{ pageNumber+1 }}
Deixe seu voto

LEAVE A REPLY

Please enter your comment!
Please enter your name here