Crítica: Doutor Estranho 2 é bom, mas não alcança seu potencial!

Doutor Estranho 2 já está em cartaz nos cinemas do Brasil

0
Doutor Estranho no Multiverso da Loucura
Doutor Estranho no Multiverso da Loucura

Filme: Doutor Estranho no Multiverso da Loucura
Direção: Sam Raimi
Crítica Noobz: Ataliba (@AtalibaNoobz)

Antes de começar a falar sobre Doutor Estranho 2 é importante citar que você deve assistir em mente que é uma aventura do Doutor Estranho. Se você for contaminado pelo hype de Homem-Aranha: Sem Volta pra Casa e aguardar as mirabolantes aparições que os rumores divulgaram como os X-Men, o surgimento dos mutantes, Motoqueiro Fantasma do Nicolas Cage, Deadpool de Ryan Reynolds, Demolidor do Ben Affleck, Wolverine de Hugh Jackman, o Homem-Aranha de Tobey Maguire, o Homem de Ferro, Robert Downey Jr., Tom Cruise, dentre outras dezenas de teorias, você irá se decepcionar. Ressalto aqui que a própria Marvel nos iludiu com referências em cartazes, que não vieram a acontecer.

E eu devo confessar que nunca me deixo levar, mas dessa vez minha expectativa estava alta demais com tantos rumores e posso ter deixado me contaminar e apreciado o filme da forma errada.

Já adianto que o filme é bom, mas o elevado hype me tirou um pouco o sabor e tenho certeza que daqui alguns meses quando eu assistir novamente vou gostar mais do que na recente experiência no cinema.

O retorno de Sam Raimi

Doutor Estranho no Multiverso da Loucura acompanha o Doutor Estranho (Benedict Cumberbatch), Wong (Benedict Wong) e os feiticeiros da Marvel em uma jornada para proteger o multiverso depois da aparição da personagem América Chavez (Xochitl Gomez), que está em perigo transitando pelo multiverso.

O longa marca o retorno de Sam Raimi à Marvel e sua estreia dentro de seu universo compartilhado. Para quem não sabe, Raimi foi o responsável pela trilogia do Homem-Aranha de Tobey Maguire e tem em seu curriculum uma extensa lista de filmes, com destaque para o terror. Ele é o responsável pela franquia Evil Dead e traz diversas referências à obra, inclusive.

Devo dizer que a direção de Raimi é um dos pontos altos do longa, que para mim, tecnicamente tem um nível altíssimo e traz pinceladas do terror, com algumas das cenas mais violentas que já vimos na Marvel dos Cinemas. Não espere uma violência mirabolante, pois estamos falando da ‘Marvel – Disney’, mas é o que há de mais pesado já mostrado no MCU visualmente e também em narrativa, pois devo confessar que tomei um sustinho de leve em dois momentos.

Apesar da ótima direção, o roteiro é bem contido e mais uma vez um filme do Doutor Estranho deixa de pirar dentro de todo o seu potencial. Não estou falando que é ruim, mas é que se tem um filme e uma situação que permita uma piração fora da caixinha é Doutor Estranho e não vemos todo o seu potencial. Com algumas surpresas iniciais, que conduzem toda a trama, o desenrolar é tecnicamente bom, mas falta algum brilho em diversos momento. O terceiro ato tem grandiosidade na sua construção, mas o desfecho é muito simples. O roteiro é muito pé no chão e aqui talvez eu tenha me deixado contaminar com os mirabolantes rumores e toda a energia e piração de Homem-Aranha 3. Faltou “loucura” à Doutor Estranho no Multiverso da Loucura.

Doutor Estranho ainda tem muito a nos mostrar

Benedict Cumberbatch está muito bem, assim como, Benedict Wong e a novata Xochitl Gomez. Mas se alguém rouba a cena é com certeza a Feiticeira Escarlate de Elizabeth Olsen. A atriz tem a oportunidade de mostrar a dualidade de sua personagem e as nuances de suas personalidade e brilha toda vez que é exigida.

Visualmente e tecnicamente, tanto em direção como em atuação, o filme é ótimo, mas volto a dizer que o roteiro é muito pé no chão e contido, deixando de extrair todo o potencial que a aventura poderia nos proporcionar. Apesar disso, fico animado para ver o retorno desse universo, pois ainda há muito potencial a ser explorado.

O maior momento de surpresa do longa fica com as aparições já sugestionadas nos trailers. Elas não são meros fan-services, são muito bem encaixadas no roteiro para mover a história de forma crível e inteligente, mas falta brilho para explorar todo o potencial que esse momento poderia ter.

Existem duas cenas pós-crédito, onde a primeira nos fala muito sobre o futuro do universo do Doutor Estranho e a segunda é tão bobinha e idiota, que eu rachei o bico. Se você pegar a referência, talvez ache ainda mais graça ou odeie.

A nova aventura da Marvel

Doutor Estranho no Multiverso da Loucura é um bom filme, com ótima direção e atuação, mas que não mostra todo o seu potencial e falta a tal “loucura”. Se você tinha hype então, pode acabar até se decepcionando.

Vá com o coração aberto, ciente de que é uma aventura do universo do Doutor Estranho, que talvez você consiga ter uma experiência mais profunda e divertida do que eu tive.

Trailer

Nota: 7.0

Doutor Estranho no Multiverso da Loucura
7 / 10 Reviewer
{{ reviewsOverall }} / 10 Usuários (0 votos)
Prós
- Excelente direção
Contras
- Roteiro não tira todo o potencial que o filme poderia ter
Sinopse
Doutor Estranho e Wong acabam se envolvendo em um conflito que colocar em perigo todo o multiverso. Cabe a eles agora, unirem todas as suas forças para impedir que realidades sejam destruídas.
Rating
Review dos Leitores Deixe seu voto
Order by:

Be the first to leave a review.

User Avatar User Avatar
Verificado
{{{ review.rating_title }}}
{{{review.rating_comment | nl2br}}}

This review has no replies yet.

Avatar
Show more
Show more
{{ pageNumber+1 }}
Deixe seu voto

LEAVE A REPLY

Please enter your comment!
Please enter your name here