Review: Far Cry 6 entrega uma experiência prazerosa em meio a uma história clichê!

0
Far Cry 6
Far Cry 6

Game: Far Cry 6
Desenvolvedora: Ubisoft Toronto, Ubisoft Milan
Distribuído por:
 Ubisoft
Plataforma Utilizada:
Playstation 4
Também para:
 Xbox Series X, PlayStation 5, Xbox One, Google Stadia, PC
Noobzview:
 Ataliba (@AtalibaNoobz)

A Ubisoft conseguiu a atenção dos gamers quando anunciou Far Cry 6, novo capítulo de sua popular franquia, que pela primeira vez chegaria diretamente para a geração passada e nova de consoles. O anuncio revelou que o ator Giancarlo Esposito viveria o principal vilão na história, emprestando sua performance para o título. Muito hype e Far Cry 6 chegou o ao mercado. Será que foi possível suprir as expectativas?

História

Na trama você é Dani Rojas e antes de iniciar a jogatina você escolhe se quer que o personagem seja do gênero masculino (minha escolha) ou feminino, essa escolha não interfere em nada na história. A partir dai, o jogador entra na pele desse ex-militar que quer fugir do arquipélago de Yara em busca de uma vida melhor, mas acaba sendo interceptado pelas forças militares do governo ditatorial de Antón Castillo (Giancarlo Esposito). Ao ser resgatado o protagonista é convencido a lutar ao lado da resistência até estar tão envolvido, que só se dará por vencido quando o regime ditador cair.

Far Cry 6

A história de maneira geral não tem nada de muito especial e o começo não me pegou muito. É bem clichê em tramas envolvendo ditadores e revoluções, mas não que seja ruim, mais vale um clichê bem feito que inventar demais e perder a mão. As participações de Castillo eram rápidas e não havia tanta profundidade e espaço para o personagem, bem como o protagonista acabou sendo convencido de maneira tão simples, que parecia não ter determinação em suas ações anteriormente, ou seja, para mim começou enfraquecido, com pouca personalidade.

Do meio para o final do jogo a história ganha corpo e Esposito brilha com mais tempo de tela, fazendo jus a aposta da Ubisoft em seu talento. Me afeiçoei também ao protagonista, fiquei muito simpático a ele a ponto de ficar andando de carro por mais tempo quando ele começa a cantarolar uma música que toca na rádio. Mas creio que além da história e suas atitudes um ponto alto que me conectou a ele foi a performance de voz feita pelo ator Sean Rey. Acabei jogando com o áudio original, por uma desatenção nas configurações iniciais, pois a Ubisoft Brasil costuma fazer trabalhos exemplares com a dublagem de seus jogos e já comento isso em reviews e canais de comunicação tem muito tempo. Não é a toa que todos os anos seus títulos estão indicados na categoria de dublagem da Brasil Game Awards.

Um enorme mundo para explorar

O mundo de Far Cry 6 é enorme, lindo e vivo! Muitas interações, animais e atividades para realizar a todos os momentos. A Ubisoft tem maestria em criar belos mapas e explorá-lo muito bem e de forma bem distribuída. Você poderá explorar cavernas, escalar montanhas ou invadir até mesmo grandes navios em alto mar.

Experiência e Jogabilidade

Far Cry 6 traz um pouco do que já foi visto em outros jogos da série, mas com alguns diferenciais como a personalização de armas. Conforme você coleta materiais e sob de rank é possível personalizar seus armamentos com inúmeras possibilidades, como uma arma de tiro explosivo ou venenosa, carregar minas de proximidade ou de desativação de equipamentos. Esse detalhe faz toda a diferença, pois a arma pode mudar completamente sua estratégia e quando surgem missões parecidas, sua experiência pode ser completamente diferente aliando estratégia e armamentos.

Apesar de muitas missões repetidas, o jogo me prendeu e me ganhou, eu tinha prazer em ficar conquistando bases ou postos avançados ao invés de seguir na missão principal.

Outro ponto extremamente positivo é que você tem a liberdade para fazer as missões na ordem em que quiser, não há uma linearidade obrigatória. Você age livremente pelo mapa e avança na história da forma que quiser, tornando minha experiência geral de Far Cry 6, diferente da sua. Além disso, você pode optar por tomar base e fazer missões de maneira stealth, desativando alarmes e câmeras ou simplesmente cair para a porrada e ver o que dá. Até mesmo uma estratégia hibrida é possível, pois por vezes eu primeiro desativava os alarmes de maneira stealth para depois partir para a batalha. O desativamento do alarme evita que novos soltados cheguem para dar suporte, aos que já estão no local que você está atacando.

Far Cry 6
Far Cry 6

A única coisa chata em algumas missões pontuais, em que era interessante atuar de maneira stealth era quando na história eu precisava cumprir aquele objetivo com um personagem da história, que era controlado pelo computador e vez ou outra resolvia entregar nossa posição e acabar com toda a estrategia stealth no meio. Isso era bem irritante.

Já que estou falando de irritação, vi que muita gente costuma reclamar e bombardear a internet com os famosos bugs da Ubisoft e como eu joguei no dia 1 já com um patch de correção só tive um problema para relatar, que nem estragou a experiência, pois foi engraçado. Isso porque, após uma batalha, meu parceiro jacaré ficou preso a um caminhão e flutuou, eu estava em live, inclusive. Mas segui em frente e logo ele estava ao meu lado. Fora isso, nada que tenha me saltado aos olhos. É comum vermos diversos problemas em jogos em seu lançamento, ainda mais em um mapa tão grande como o de Far Cry 6, mas sinceramente, minha experiência foi ótima.

Houve uma polêmica envolvendo o título e um mini game de briga de galos, onde uma grande instituição defensora dos animais acusava a desenvolvedora de promover a briga dos animais. Sinceramente, é tão caricato e bobo, que é mais um barulho por nada envolvendo o mundo dos games.

Existe um sistema de parças que permite ao jogador andar com um mascote que irá lhe ajudar durante as batalhas e olha, ajuda mesmo. Existem algumas possibilidades de animais e os que mais usei foram o inicial, um jacaré estiloso com uma jaqueta invocada da revolução e Chorizo, um salsichinha cadeirante que atraia a atenção dos soldados com seu charme, enquanto eu chegava sorrateiramente para executá-lo. Aliás, falando nos soldados, sua inteligência não era das melhores, em algum momento a falta de estratégia ou até mesmo burrice dos NPCs chama a atenção.

Far Cry 6 Chorizo

Gráficos

Como já relatei anteriormente, o mundo de Far Cry 6 me encantou, é lindo demais e me chamou muito a atenção, os personagens, no entanto, não tanto. Não que estejam feios, de maneira alguma, estão muito bem feitos e muito bonitos, mas nada que já não tenhamos visto em outros jogos. Parece até injusto comentar isso, pois os gráficos estão ótimos, mas em todo fim e início de geração acabamos esperando sempre um algo mais.

Far Cry 6 vale a pena?

Foi muito prazeroso me aventurar por Far Cry 6 e olha que fazia tempo que eu não me divertia com um game. É claro que tem seus defeitos, mas a experiência geral é tão satisfatória que torna os pontos negativos pequenos diante de tudo o que é entregue pela Ubisoft.

Tive algumas dificuldades no meu início até entender a marcação das missões no mapa e suas trocas, mas depois que peguei o jeito o jogo foi que foi e até mesmo dominó eu joguei.

A trilha sonora é ótima, as possibilidades de montar suas armas e invadir instalações inimigas, parece o jogo perfeito, mas falta um algo mais. Um temperinho que faz com que Far Cry 6 não seja um jogo quase perfeito, mas um excelente jogo.

Trailer

Nota: 9.0

Far Cry 6
9 / 10 Reviewer
{{ reviewsOverall }} / 10 Usuários (0 votos)
Rating
Review dos Leitores Deixe seu voto
Order by:

Be the first to leave a review.

User Avatar User Avatar
Verificado
{{{ review.rating_title }}}
{{{review.rating_comment | nl2br}}}

This review has no replies yet.

Avatar
Show more
Show more
{{ pageNumber+1 }}
Deixe seu voto

LEAVE A REPLY

Please enter your comment!
Please enter your name here