2ª temporada: Noobzcast 39 – Bayonetta

13
Poscast Noobzcast Games
Noobzcast 39 - Bayonetta

podcast games bayonetta

SEGUNDA TEMPORADA: Noobzcast #39 – BAYONETTA

Olá gamers sejam bem vindos ao trigééééééééésiiiimoooo nono Noobzcast!!!

No trigésimo nono programa ATALIBA (@achateaubriand), ARIEL (@arielsis), e ALEPITECUS (@alepitekus) falam com uma excitação fora do comum do título Bayonetta.

Neste programa recomendado a maiores de dezoito anos por conter linguagem de baixo calão, alta dose de eroticidade e muita besteira. Descubra um pouco mais sobre o hack and slash da Sega que tirou o sono de muitos marmanjos… se é que você me entende…

*Para melhor experiência de áudio utilize fone de ouvidos.


Tempo de programa: 85 minutos

Links comentados no programa:

Bayonetta no jogo Anarchy Reigns

Diretor criativo de Assassin’s Creed 3 ataca os jogos japoneses

EMAIL

Para comentar sobre o programa diretamente conosco, criticas, sugestões, dicas, elogios, friendly fire (erros) mande email para noobzcast@noobz.com.br

FEED NOOBZCAST

Atendendo a pedidos criamos um Feed exclusivo de nosso Podcast, para assinar basta clicar no link.

http://feeds.feedburner.com/noobzcast

NOOBZCAST – O PODCAST DO MUNDO DOS GAMES

Confiram nossos outros programas clicando a seguir: NOOBZCAST

Noobz no twitter @Noobz_games

Noobz no facebook facebook.com/NoobzGames

ENJOY!

13 COMMENTS

  1. Eu tô bem, bem, BEM atrasado nos podcasts. Fui conseguir terminar de escutar este hj enquanto fazia faxina em casa, mas detalhe…  kkkkkkkkkkkkk
    Estou jogando o Bayonetta atualmente, acabei de salvar a minazinha lá que não é o Toninho Cerezo. Tô achando o jogo difícil em comparação a outros jogos dessa geração, o que o torna mais divertido (não joguei ainda Demon's/Dark Souls, caso pensaram em comparar a eles).
    Engraçado que nunca gostei de Devil May Cry, mas estou curtindo muito este. Vai entender. E não tem nada a ver com as poses, o excesso de sexualidade ou a imersão no mundo japonês, ao qual estou bastante acostumado. Aliás, eu me divirto com o balde de água fria que o game joga na gente quando começa aquela musiquinha j-pop, parece mesmo que estou naqueles tokusatsus/animes, então pra quem está acostumado a esse mundo, é bem divertido mesmo, exatamente como vcs falaram.
    Parabéns pelo cast, não deram nenhum Spoiler nele. Eu estava um pouco receoso de ouvir algum enquanto jogava, mas felizmente não aconteceu. Fora que mais uma vez foi super divertido e informativo.
    E não lembro quem falou (Ariel, se não me engano), mas acertou que o segundo jogo da (agora) série sairia para a próxima geração. Mandou bem!
    Abraços a todos!

  2. E ai Marcelo!
    Concordo contigo cara, mas sei lá, achei que mesmo a história sendo maluca ela é fraca até nesse aspecto, pois não te chama a atenção pela maluquisse ela passa batida… o que chama a atenção são momentos de cutscene com piadas eróticas e tal. 
    Enfim, acho que é um ótimo papo para se desenvolver, não só a história de Bayonetta, mas a critica do produtor de AC que disse que as histórias japonesas vem perdendo qualidade. Ele não é o primeiro a criticar a industria japonesa (se bem que acredito que a industria do ocidente cresceu absurdamente em qualidade nos últimos anos e talvez por isso possa dar essa impressão, não posso afirmar).
    Valeu pelo comentário e nos surpreendeu com o mais engraçado da hist+oria hahahaha, pô ficamos muito felizes e realizados quando vemos comentários como o seu XD.
    Abração!!!

  3. Versão digital mais em conta valeria bem mais a pena… acredito que no futuro a Sega disponibilize o jogo… beeemmm no futuro hehehe.

  4. Aí, to falando que vocês que não entendem as piadas! Na verdade o Alepitecus só ri dele mesmo…¬¬' kkkkkkkkkkk

  5. Grande anonimo, não consegui platinar o jogo! Mas contam as más línguas que Ariel destravou os tropheus "Vera Ficher in your hand" e no modo hard o "todos contra um".

  6. Cara, só posso concordar com o que você disse. Inclusive muitas matérias tem saido lá fora criticando a qualidade dos jogos japoneses que tem caido no fator criatividade e a alta principalmente dos RPG ocidentais que sempre foram bem inferiores aos orientais. Crise na industria criativa japonesa? Não sei, esperemos os próximos capitulos. Aliás os jogos com mais hype ainda para esse ano são em sua maioria esmagadora ocidentais =/
    Abraços!!

  7. Grande Maxwel!
    Cara, o começo do programa foi meio estranho mesmo, pois tivemos problemas no dia e tivemos que começar meio seco na parte da história hehehe, mas que bom que gostou do programa, isso nos motiva bastante.
    Já estamos editando próximos programas com o Christopher e com o Kleber. Esse programa em especial tivemos apenas três participantes, pois o quarto seria uma garota convidada de outro blog, mas ela furou conosco e gravamos sem ela mesmo.
    Com relação a série filmes temos dado certo azar, pois os programas estão ficando muito ruins e não passam no controle de qualidade, já a série Tekken está na pauta e devemos preparar em breve, mas não tão cedo ainda.
    Valeu meu velho! Abraços!!

  8. Esse jogo é um dos que eu falo que vou comprar e nunca compro kkk devia ter versão digital na PSN facilitaria pra mim!  

  9. Muito bom esse programa!! Mas esse deveria ser o número 69, e não 39
    Bayonetta é um jogo que comprei terminei uma vez e ficou parado na minha prateleira . Jogabilidade legal, mas a personagem principal e a historia me interessaram muito pouco (já as poses é outra historia), mas senti o mesmo que o Ataliba disse, que nem a propria personagem principal está interessada na historia, então porque nós deveriamos? Joguei no PS3 e achei o frame rate irritante. 40/40 na Famitsu? Esses caras deviam estar num ácido forte!
    Achei as piadinhas do Ariel bem engraçadas, e achei a edição fantástica!
    Continuem com o bom humor e o ótimo trabalho, e parabéns pelo cast!

  10. Bayonetta eu jogo com uma mão só. Consegui o troféu "Iron Hand" depois de bronhar 15 vezes numa só fase! Mas diz a lenda que o Alepitecus conseguiu isso no modo hard, e que o Ataliba platinou o jogo também!
    Abraço, galera, não resisti à brincadeira!!

  11. Pessoal,

    Parabéns, acho que esse foi o Noobzcast mais engraçado da história!

    Bayonetta é um jogo espetacular. O que mais me chamou a atenção nele foi a jogabilidade rápida e os chefes insanos e gigantescos. 

    Esse também é um jogo atípico na indústria. Ele não se leva a sério e a história é maluca de propósito. Tenho certeza que foi um dos objetivos da Platinum foi criar uma certa polêmica e acho legal que ainda exista um produto dessa forma na indústria e que tenha um relativo sucesso comercial. Se eles não se levam a sério, a gente também não pode exigir tanto de um jogo doidão!

    Eu acho que a bizarrice do jogo também está muito bem representada na música, como vocês falaram. Nunca imaginei que um jogo de luta tivesse como tema principal uma versão “cool” da “Fly me to the moon”. 

  12. Eu entendo a crítica do Alex Hutchinson, pois de fato somos condescendentes com histórias ruins nos jogos japoneses atuais. Sempre nos lembramos dos japoneses como os genios que revolucionaram a indústria por mais de 20 anos, elevando a criatividade dos jogos, desde os primeiros passa-tempo/arcades dos anos 80 até as obras primas de ficção dos anos 90/99.

    Mas hoje em dia, apesar de ainda serem mestres na jogabilidade, no design, ou mesmo na criatividade, precisamos admitir que as histórias dos jogos japoneses praticamente deixaram de ser levadas em conta. Basta colocar os fetiches culturais que precisam pra vender os jogos, e pronto.

    Poucos são os jogos orientais de hoje em dia que de fato têm algo além do feijão-com-arroz otaku. Hoje em dia, mesmo grandes títulos como final fantasy, Bayonetta, Devil May Cry, ou Drag'ns Dogma, têm histórias básicas, genéricas, ou feitas com base em "fórmulas" de games anteriores. Foi muito triste comprar dragons Dogma, e ver uma história tão fraca, apesar da jogabilidade e design fantásticos do game.

    Não acho que criticar nesse caso seja ruim. Pelo contrário. A indústria oriental precisa voltar ao tempo em que ousava ser mais do que vendedora de produtos digitais.

    Se o ocidente, com uma indústria cinematográfica tão medíocre, tem uma indústria de games que ousa atualmente fazer jogos como Skyrim, Witcher, ou Assassins Creed, isso só mostra que estamos fazendo o que aprendemos com a industria oriental dos anos 90. Que eles se toquem e voltem a ser a vanguarda da indústria, seria ótimo pra todos 🙂

  13. Bom Noobzcast, me surpreendeu bastante, pois Bayonetta era o meu último palpite para o Noobzcast 39. Eu não joguei esse jogo ainda (não tenho um console da sétima geração), mas estou curioso para jogar. Vocês estavam meio solto nesse Noobzcast, mas, eu sei que todo mundo queria praticar fazer uma Bayonetta 2ª com ela (assim você mata o papai Bayonetta). Eu pensei que vocês não lembrariam de que foi o Kamiya (Resident Evil 2, Devil May Cry, Viewtiful Joe, Okami) que dirigiu esse jogo, pois parecia no começo que vocês estavam por fora do jogo. Mesmo com esse ótimo Noobzcast, eu senti falta do Christopher e do Kleber nesse programa, aliás, cadê o próximo "Série Filmes" e "Série Tekken" ??? Falou galera e até o próximo Noobzcast.

LEAVE A REPLY

Please enter your comment!
Please enter your name here