Noobzview: Uncharted: Drake’s Fortune

1

Uncharted

Game: Uncharted Drake’s Fortune
Desenvolvedora:
Naughty Dog

Distribuído por:
SONY

Plataforma Utilizada:
Playstation 3

Também para:
Somente Playstation 3

Noobzview:
Alepitecus

———————————————————————

Valeu a pena: Diversão garantida com muita qualidade técnica. Sem dúvida nenhuma um jogo com cara de cinema.

Não valeu: Inimigos irritantemente semi-imortais, e a repetitividade incomoda em alguns momentos.

———————————————————————

Exclusivo para a plataforma Playstation 3, produzido pela empresa de renome Naughty Dog, e distribuído pela SONY Computer Entertainment, UNCHARTED Drake’s Fortune poderia muito bem ser mais um jogo de aventura qualquer, daqueles que nos divertimos por alguns momentos e que logo depois seria esquecido. Felizmente isso não acontece e segue abaixo os motivos desse jogo ser tão encantador.

Primeiramente, um dos elementos que mais chama a atenção é o roteiro, que muitas vezes lembra os roteiros cinematográficos de grandes aventuras como Indiana Jones, Os Goonies e, até mesmo, A Múmia.

Nathan Drake é um “caçador de tesouros” e acredita ser descendente de um famoso explorador, o Sir Francis Drake. Em sua jornada, descobre um caixão perdido há mais de 400 anos e, ao abri-lo, encontra um artefato valioso que o direciona ao começo da sua verdadeira aventura à famosa cidade de El Dorado. Segundo a lenda, El Dorado é toda construída com ouro maciço, com muitos tesouros e relíquias, e que foi muito procurada por piratas e exploradores na época da colonização das Américas.

Uncharted

A trama trabalha em cima da caça ao tesouro de El Dorado, porém Drake não está sozinho e sim acompanhado de um grupo de mercenários que tentará a qualquer custo (qualquer custo = detonar todos que os atrapalharem!), encontrar a cidade e, consequentemente, o tesouro. Enfim, todos esses elementos só provam que o roteiro de Uncharted pode sim ser considerado clichê, mas um ótimo clichê com referências de peso e amarrando muito bem a trama não devendo nada à HOLLYWOOD.

Seria impossível não traçar um paralelo do protagonista do game com o maior ícone aventureiro do cinema: o professor e arqueólogo Indiana Jones. É nítido que o filme de Steven Spielberg foi o pilar para a construção do personagem, da história, dos cenários, entre outros elementos. Os dois têm muitas coisas em comum, e arrisco dizer que Nathan Drake poderia tranquilamente ser o sucessor de Indy.

Uncharted

Assim como todo bom herói tem sua companheira de aventura, Nathan não seria diferente. Elena é uma repórter bonita e atraente (“PORQUE NÃO?”) que inicialmente o acompanha na descoberta do caixão e no decorrer do jogo torna-se um membro importantíssimo da aventura, ajudando e formando o par romântico de Drake (“ÓBVIO”). Não poderia faltar o velho amigo “nice guy”, Sully, que é aquele personagem vaselina, o “malandrão”, você não sabe se é do bem ou do mal, mas que no fim não decepciona.

Também é sabido que não existe uma boa obra épica sem uma excelente trilha sonora. Desde o início, quando o jogo é carregado, os acordes começam em grande estilo relembrando outra vez os filmes já mencionados. As músicas são bem dinâmicas, encaixam perfeitamente com os cenários, animações e etc. causando grande imersão e ambientação. Os efeitos sonoros são muito bem feitos e pra quem possui a versão europeia uma surpresa agradável, ou no mínimo divertida: Idioma português de Portugal (Oh Raios pra cá, raios pra lá e assim vai).

Uncharted

A jogabilidade é tranquila, ou seja, não requer muita habilidade durante boa parte do game. Os Puzzles(“Quebra cabeças!”) são bem feitos e, muitas vezes, necessitam de um raciocínio lógico e perspicaz. Os movimentos dos personagens estão perfeitamente sincronizados com o controle, deixando bem maior o teor de realismo. A inteligência artificial dos inimigos é ótima, mas uma coisa fica clara – e que em alguns momentos chega a ser irritante – a demora deles para morrer, precisando de muitos tiros para cair. Nathan também é bom de braço e, quando necessário, desce a porrada nos bandidos.

Uncharted

Outro aspecto que deixa um pouco a desejar é o que a maioria dos games de respeito deve fugir: a repetitividade. É um elemento relativamente comum nos games atuais e que existe, e muito, em Uncharted. Às vezes temos a velha impressão do “Eu acho que já passei por aqui!”,ou, “De Novo essa cena”. Mas isso não é o suficiente para quebrar a beleza e diversão do jogo.

Os cenários estão muito bem modelados, com um grau de realismo absurdo. A iluminação e animações, tanto dos ambientes internos, quanto externos, são extremamente bem feitas. Grande parte das explorações acontece nas superfícies e nas profundezas da Amazônia, com muitas arquiteturas indígenas e incas.

Uncharted

Concluindo, UNCHARTED Drake’s fortune é um ótimo game (“GAME OF THE YEAR 2007 pelo site IGN”), com um protagonista muito carismático, de personalidade forte, e que facilmente cairá nas graças do gamers (“SE JÁ NÃO CAIU”), cenários maravilhosos e jogabilidade divertida e simples. Vale muito a pena ser destrinchado, coletando todos os tesouros e os troféus. Um tiro no alvo da Naughty Dog, do PS3 e de todos os envolvidos.

———————————————————————

NOTA:

Gráficos: 9.5
Som: 9.0
Jogabilidade: 8.0
Diversão: 9.5

NOOBZVIEW: 9.0

Por Alepitecus

1 COMMENT

LEAVE A REPLY

Please enter your comment!
Please enter your name here